Arquivos de Tag: riopostcard

Assinatura dos Feeds
Compartilhado por: @filipe_caval em Jan 13, 2017 @ 09:25

Compartilhado por: @filipe_caval em Jan 13, 2017 @ 09:25

————————– अहिंसा – Ahimsa: não-violência. ️Existem duas dimensões diferentes na não-violência, que estão intrinsecamente ligadas: uma pessoal e uma social. A primeira tem a ver com a forma como a gente se relaciona consigo mesmo. A segunda tem a ver com a maneira em que vivemos a vida em sociedade, com nossa familia, nossos amigos, vizinhos ou colegas de trabalho (texto yogapro.br) ️O preceito de “não causar dano” do Ahimsa inclui intenção, palavras e pensamentos. . . . . . . . . . . . . . . . .

Mais Detalhes »

Compartilhado por: @filipe_caval em Dec 12, 2016 @ 08:12

Compartilhado por: @filipe_caval em Dec 12, 2016 @ 08:12

—————️————- O amor é um assunto mais obsceno, para nossos comtemporâneos, do que o sexo. Mais incomodo. Mais íntimo. Mais difícil de dizer, de mostrar, de pensar… O amor seria antes uma exceção… Oamor seria antes uma doença… O amor seria antes uma fraqueza, uma fragilidade, uma ferida…. e se fosse apenas um sonho, uma ilusão, uma mentira? Se por toda parte existisse apenas o sexo e o egoismo? Se todo o resto não passasse de literatura? Se o amor só existisse, como já o sugeria La Rochefoucauld, na medida em que falássemos dele? (Roland Barthes). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Mais Detalhes »

Compartilhado por: @filipe_caval em Dec 12, 2016 @ 08:12

Compartilhado por: @filipe_caval em Dec 12, 2016 @ 08:12

—————️————- O amor é um assunto mais obsceno, para nossos comtemporâneos, do que o sexo. Mais incomodo. Mais íntimo. Mais difícil de dizer, de mostrar, de pensar… O amor seria antes uma exceção… Oamor seria antes uma doença… O amor seria antes uma fraqueza, uma fragilidade, uma ferida…. e se fosse apenas um sonho, uma ilusão, uma mentira? Se por toda parte existisse apenas o sexo e o egoismo? Se todo o resto não passasse de literatura? Se o amor só existisse, como já o sugeria La Rochefoucauld, na medida em que falássemos dele? (Roland Barthes). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Mais Detalhes »

Carregar mais imagens
Scroll To Top